Os impactos ambientais, A consciência ecológica e “A questão amazônica” como problema sócio-político internacional

Autores

  • Maria do Carmo Bezerra Maciel Bédard ULAVAL-Québec-Ca

Resumo

Analisamos a "questão écológica" como efeito do progresso tecnológico nas
suas diferentes fases e enfatizamos sua dimensão prioritariamente política. A idéia central é a de que as novas tecnologias produzem um novo modelo de sociedade e de relações sociais, com inegável melhoria na qualidade de vida das populações, mas geram conflitos sócio-políticos e culturais. Nosso objetivo é analisar os impactos da tecnologia, e a “questão ecológica” na dimensão geopolítica. Partimos da hipótese de que esses impactos, gerados pela mundialização da produção e a globalização da economia, são causa e efeito das políticas de desenvolvimento. Relacionamos o desenvolvimento da consciência ecológica à construção da “questão Amazônica” como problema ecológico e
político mundial. Nesta perspectiva estudamos a grande "questão ecológica brasileira": os impactos ambientais na Amazônia, sua devastação e internacionalização, e as condições políticas internas e internacionais para o seu aparecimento. Dentre as principais correntes que promovem a conscientização ecológica e denunciam os efeitos nefastos do progresso, destacamos a importância do Club de Roma e seu paradoxo político-teórico: pregar o fim de um modelo de desenvolvimento baseado na exploração das matérias primas e no industrialismo, e subrepticiamente, realizar a apologia da mundialização, da
planetarização da política, da cultura e da economia e defendendo um sistema de gerenciamento e tutelagem de sociedades “frágeis” economica e politicamente, consideradas como grandes produtoras de riscos tecnológicos e ecológicos. 

Biografia do Autor

Maria do Carmo Bezerra Maciel Bédard, ULAVAL-Québec-Ca

Ph.D em Ciências Sociais / ULAVAL-Québec-Ca, Pós-Doctor/Sorbonne-França

Referências

BENEVOLO, Leonardo. The origem of modern Town Planning, Cambridge, MA: MIT Press, 1983.

BOURIN, François. Le Contrat Naturel dans l`État de lènvironnement dans le Monde. Paris : La Découverte, 1993.

CAMBROSIO, A. Et DUCHESNE, Raymind. Les enjeux du Progrès. Ppresses lÙniversité du Québec, Sainte-Foy, 1999.

CARDOSO, Fernando Henrique. Le Progrès en question. Acte du IX colloque de l'A.I.S.L.F., Sociologie du Progrès, Menton, mai 1975.

CARDOSO, Fernando Henrique ; MULLER, G. Amazônia: expansão do Capitalismo. São Paulo: Brasiliense,1989.

DURKHEIM, Émile. La División del Trabajo Social. Buenos Aires : Shapiro, 1967.

GUAY, Louis. Traité des problèmes sociaux, Institut Québecois de Recherche sur la Culture, 1999.

HAYS, Samuel, P. Conservation and Godspel of Efficience. The Progressive Consevation movement, 1890-1920, Cambridge, MA, Harvard University Press, 1979.

MORIN, Edgar. Sociologie, Paris, Fayard, 1989.

MUNFORD, Lewis. La cité à travers l'histoire, Paris, seuil, 1974.

O`DONNEL, G. y Oszlak. Politicas Publicas y Estado en América Latina - Algunas sugerências para estudo. Centro de Investigationes en Administration Publica, Inst. Torquato di Tella, 1989.

OLIVEIRA, Ariovaldo Umbelino de. Integrar para não entregar. Campinas, Papirus 1990.

PAEHLKE, Robert, C. Environnementalism and the future of progressive Politiqcs, New Haven, CT, Yale University Press, 1989.

PAINCHAUD, Paul. Les Politiques Publiques. Québec, GERPE, Université Laval- Chaire UNESCO, 1994.

PIMENTEL, Flavia Piovesan E Silvia. Direitos Econômicos, Sociais e Culturais sob a Perspectiva de Gênero, Raça, Etnia e Desigualdade. São Paulo: 2006, Introdução. Resumen Executivo: Relatório Paralelo ao PIDESC.

SACHS, Ignacy. L'État de l'nvironement dans le monde, 1993.

SAGASTI. Francisco R. Tecnologia, Planejamento e desenvolvimento Autônomo. São Paulo: Ed. Perspectiva, 1986.

SHWARZ, Alf. Les nouvelles technologies et les problèmes environnementaux. Québec :ULAVAL, 1994.

Downloads

Edição

Seção

Artigos